Eu sou deficiente de Vitamina D? – Laboratório Farreras Valenti
RESULTADOS DE EXAMES

Essencial para o organismo, a vitamina D é determinante para a execução de mais de 85 funções já definidas no corpo. Contudo, mesmo com toda a sua importância, os níveis de deficiência desta vitamina são altos entre a população! Diferentemente das outras vitaminas essenciais, a D funciona como um hormônio, tendo em vista que todas as células do corpo possuem receptores para ela.

A produção de vitamina D no organismo se dá a partir do colesterol, uma vez que a pele é exposta à luz solar, e, deste modo, o colesterol é convertido na vitamina. Entretanto, ela também é encontrada em determinados alimentos, como peixes, produtos lácteos enriquecidos e frutas (mais especificamente na laranja).

Por mais que o consumo de alimentos ricos nesta vitamina seja importante, o ideal é se expor ao sol com regularidade, principalmente antes das 10 horas da manhã e após as 16h. A dose de vitamina D diária recomendada oficialmente por especialistas gira em torno de 400-800 UI, e estima-se que cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo possuem baixos níveis do composto no sangue.
Segundo um estudo realizado em 2011, mais de 40% dos adultos nos Estados Unidos são deficientes de vitamina D. Em hispânicos, o número sobe para 69,2%, e, em afro-americanos, para 82,1%. Ou seja, quanto mais escura a pele (com maior concentração de melanina), mais tempo ao sol se faz necessário.

Fatores de Risco

Alguns dos fatores de risco mais comuns para a deficiência de vitamina D, além de ter a pele escura e não passar um tempo ao sol regularmente, são estar acima do peso ou obeso (a) e passar a maior parte do tempo dentro de ambientes fechados, com iluminação artificial.

Principais Sintomas

A maior parte das pessoas acometidas pela deficiência da vitamina não percebe os sintomas, uma vez que estes são geralmente sutis, e é necessário estar sempre atento (a) a eles. E para que você possa evitar o problema, listamos oito dos principais sintomas decorrentes da deficiência de vitamina D:

• Imunidade baixa: Você fica doente ou contrai infecções com frequência? Isso pode um sinal da falta de vitamina D no organismo, uma vez que um dos papéis fundamentais da vitamina é fortalecer o sistema imune, mantendo-o capaz de combater de forma eficiente vírus e bactérias que causam doenças.

• Fraqueza muscular e cansaço: Sentir-se cansado (a) o tempo todo ou sentir fraqueza muscular são sintomas que estão intrinsicamente ligados a diversos fatores (como a desidratação crônica, por exemplo). Entretanto, a deficiência de vitamina D pode ser a principal causa. Estudos têm apontado que níveis sanguíneos muito baixos podem causar fadiga, prejudicando – e muito – a qualidade de vida do indivíduo. Já nos músculos, esta vitamina tem a função de transporte de cálcio, além de síntese proteica e contração muscular.

• Depressão: A depressão está em pauta, e o número de indivíduos diagnosticados com a doença cresce a cada dia. Estudos recentes relacionam a falta de vitamina D ao diagnóstico, particularmente em adultos mais velhos. Na análise, cerca de 65% destes estudos encontraram relações entre os baixos níveis sanguíneos da vitamina, as alterações de humor e, consequentemente, a depressão.

• Dor nos ossos e nas costas: A vitamina D contribui para que o corpo absorva melhor o cálcio, auxiliando na manutenção da saúde dos ossos. Portanto, uma vez que há a deficiência da vitamina no organismo, consequentemente se tem a falta de cálcio, o que enfraquece a ossatura. Algumas das consequências seriam a osteoporose, o raquitismo e a deformidade nos ossos.

• Diabetes: A deficiência de vitamina D ainda pode agravar o diabetes tipo 2 e prejudicar a produção de insulina pelo pâncreas.

• Obesidade: Sabia que a deficiência desta vitamina também pode contribuir para o aumento dos números na balança? A falta de vitamina D no organismo é apontada como um dos fatores para o acúmulo de gordura corporal, além de estar relacionada a reações metabólicas, como o aumento da sensação de fome e a diminuição do gasto energético.

• Perda de cabelo: Muitas vezes atribuída ao estresse, a queda de cabelo também pode ser decorrente da falta de nutrientes na corrente sanguínea, especialmente quando é grave. Ou seja, a perda de cabelos em excesso pode ser um sinal de deficiência de vitamina D.

• Infecções pulmonares e asma: Crises em excesso? Pode ser sinal de falta de vitamina D. A suplementação através desta vitamina fortalece o sistema imunológico, reduzindo os ataques de asma e ainda protegendo os pulmões dos efeitos do tabagismo em fumantes.

• Diagnóstico

Além de estar sempre atento (a) aos sintomas já característicos e que podem indicar baixas doses de vitamina D na corrente sanguínea, o ideal para o diagnóstico desta deficiência é o exame laboratorial, que não possui custo elevado. De todo modo, caso identifique algum dos sintomas, converse com o seu médico o quanto antes!


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/farreras/www/farreras/wp-includes/functions.php on line 3722

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/farreras/www/farreras/wp-includes/functions.php on line 3722