Outono: Conheça as doenças mais comuns desta estação – Laboratório Farreras Valenti
RESULTADOS DE EXAMES

Basta o outono chegar para que algumas doenças como gripe, alergia, sinusite, bronquite e asma apareçam. O ar frio da estação, as mudanças bruscas de temperatura, e a convivência em ambientes fechados são os grandes responsáveis pelo aumento do número de casos de doenças nesta época do ano.

As pessoas que mais sofrem com a estação são as crianças e os idosos. Nesta época o número de casos nas emergências de hospitais costuma crescer, principalmente com crises de alergia e pneumonia. As crianças são mais vulneráveis às doenças por terem o sistema imunológico ainda em desenvolvimento, enquanto os idosos, por possuírem o sistema imunológico debilitado. Além deles,os fumantes também têm o risco ampliado, já que ao fumar há a agressão das vias aéreas, que comprometem suas estruturas de defesa.

 

As principais doenças do outono/inverno

 

As doenças mais comuns nestas estações são as que atingem a garganta e o aparelho respiratório. Elas podem ser divididas em doenças contagiosas e alérgicas. Se tratadas de forma correta, essas doenças não têm maior gravidade, mas, quando se complicam, podem levar à morte. Por isso, é fundamental conhecer suas diferenças e ficar atento aos sintomas. Em todos os casos não tome remédios sem a orientação médica.

Gripe – é uma doença muito contagiosa. Ataca as vias respiratórias — nariz, garganta e pulmões — e é causada por um vírus chamado Influenza, transmitido pelo ar. Não existe remédio para curá-la, mas sim para aliviar seus sintomas. Se não houver complicações, tende a passar sozinha. Os sintomas são febre alta, dores musculares e articulares, dores de cabeça e inflamação dos olhos. A melhor prevenção é tomar a vacina todos os anos, principalmente no caso das pessoas idosas ou debilitadas por doenças crônicas. O tratamento inclui repouso, boa alimentação e remédios para aliviar os sintomas, como analgésicos, antitérmicos, descongestionantes e vitamina C.

 

Resfriado – é uma infecção leve das vias aéreas superiores — nariz e garganta. Não existe remédio para curá-lo, apenas para amenizar os sintomas. Se não houver complicação, tende a passar sozinho. Os sintomas são coriza, espirros e febre baixa. Pode ser causado por alergias, vírus ou bactérias. Para prevenir é preciso evitar o frio e as bebidas geladas, não permanecer em ambientes fechados e não compartilhar talheres. O tratamento é feito com repouso, líquido e boa alimentação. Se necessário, podem ser administrados analgésicos, antitérmicos e vitaminas.

 

Pneumonia – é uma infecção aguda que pode atingir os pulmões inteiros ou em partes. Os sintomas são tosse com escarro, dor no tórax, febre alta, calafrios, suor e palidez. Em geral é consequência de alguma infecção das vias respiratórias causada por vírus e/ou bactérias. Para prevenir deve-se tratar as doenças respiratórias, evitar ambientes fechados e repousar. Nos casos mais graves pode levar à morte. O tratamento pode incluir desde antibióticos até a hospitalização.

 

Alergia – Acontece quando o organismo reage com exagero a alguma substância estranha. Geralmente tem motivação genética. Durante o inverno as principais alergias são as respiratórias, principalmente por causa de mofo e poeira. Os principais sintomas são tosse, coriza, coceira nos olhos, na garganta e na pele. É preciso descobrir a fonte da alergia, que deve ser diagnosticada por um médico especialista através de exames laboratoriais e clínicos. O tratamento inclui remédios antialérgicos, à base de cortisona e, em alguns casos, vacinas.

 

Rinite – é uma inflamação não contagiosa das mucosas do nariz. Geralmente é causada por alergias ou por reações à fumaça e outros agentes ambientais. Os sintomas são: nariz escorrendo, coceira nos olhos, no nariz e na boca, espirros e um pouco de febre. Evite mofo, poeira e permanecer por muito tempo em locais fechados. O tratamento inclui antialérgicos, descongestionantes, analgésicos e antitérmicos.

 

Sinusite – é a inflamação não-contagiosa e repetitiva da parte interna dos seios da face. Os sintomas são: nariz congestionado, dor de cabeça, febre e tontura. A sinusite pode ser provocada por reações alérgicas, viroses ou infecções bacterianas. O tratamento depende da causa e da gravidade do problema. Pode incluir analgésicos descongestionantes, antitérmicos, antibióticos e até cirurgias.

 

Laringite – é a inflamação da laringe — região da garganta onde estão as cordas vocais. Pode aparecer sozinha ou ser um sintoma de bronquite, ou de outras infecções respiratórias. Não causa muita dor, mas provoca rouquidão e tosse seca. Os causadores podem ser vírus, bactérias, bebidas geladas e agressões ambientais. Para prevenir é importante: não fumar, não compartilhar talheres e copos, dormir bem e repousar a voz. O tratamento inclui desde o repouso até o uso de antibióticos.

 

Asma – também conhecida como bronquite asmática, é uma doença que congestiona os brônquios, impedindo que o ar chegue até os pulmões. Os principais sintomas são a falta de ar e o “chiado” na respiração. Pode ser causada por uma reação alérgica ou por infecção das vias respiratórias. Para prevenir, deve-se ficar longe dos agentes alérgicos. Além da medicação preventiva, o tratamento pode incluir a famosa bombinha e a nebulização.

 

Bronquite – é uma reação inflamatória dos brônquios que impede o ar de chegar aos pulmões. Os sintomas são catarro, tosse seca, dor atrás do osso do peito, fadiga, mal-estar geral e febre. Os causadores da bronquite podem ser alergias, irritações causadas pela fumaça ou pelo fumo e infecções respiratórias. Nos casos mais graves a doença pode evoluir para uma pneumonia. O tratamento é feito com expectorantes — para eliminar o catarro —, inalação e antibióticos.

 

Faringite – é uma inflamação da faringe — área da garganta entre as amígdalas e a laringe. Os sintomas são a sensação de “garganta arranhada”, febre, pus na garganta, dor de ouvido e dificuldade para engolir. A faringite que acontece subitamente (aguda) é causada por bactérias ou por vírus. Já a faringite que dura um longo tempo (crônica) ocorre quando uma infecção se espalha de outro lugar para a faringe. O tratamento inclui analgésicos, pastilhas, antitérmicos e, eventualmente, antibióticos.

Outro problema comum no outono é a formação de caspa, que se agrava ainda mais no inverno, principalmente entre os homens. No frio, a constante exposição às repentinas mudanças de temperatura estimula a produção das glândulas sebáceas, o que aumenta a oleosidade do couro cabeludo..

 

Confira algumas dicas bastante eficazes na missão de passar imune pelas ameaças desta estação do ano:

– Evite ambientes fechados e com grande concentração de pessoas;

– Higienize os ambientes com frequência, passando aspirador de pó seguido de pano úmido;

– Invista na vitamina C e na alimentação saudável;

– Hidrate-se regularmente;

– Deixe as janelas abertas, mesmo nos dias mais frios;

– Feche as janelas na hora do banho, para evitar exposição a bruscas mudanças de temperatura.

 

Fonte: oieduca.com.br


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/farreras/www/farreras/wp-includes/functions.php on line 3722

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/farreras/www/farreras/wp-includes/functions.php on line 3722